Estação Bailux e seu”Continente”

Compartilhando um texto muito importante para quem ainda não teve oportunidade de saber como tudo começou no que hoje estou chamando de “Estação Bailux ” http://www.arede.inf.br/bailux-metareciclagem-como-criacao-e-resistencia-na-terra-brasilis/

Aqui neste link falo da criação de uma infralógica para conecetar Redes de Confiança em: Projetos, Recursos e práticas no território da invasão Portuguesa nas terras dos Povos Originários http://bailux.org/2018/04/24/bailux-estacao-avancada-na-costa-do-cobrimento/

Aqui descrevo o processo de construção de uma triangulação entre parceiros : Estação Bailux – Uma Associação Socioambiental e os parceiros institucionais ( Universidades e Políticas públicas) http://bailux.org/2020/02/20/estacao-telematica-bailux-conexoes-entre-redes-locais-e-virtuais/
Aqui neste link faço uma linha do tempo dos quase 15 anos de prática do Bailux no território Arraial e comunidades vizinhas.
http://bailux.org/2019/12/18/os-nomades-sempre-voltam-ao-seu-destino-de-origem/
Por último deixo duas fotos, a primeira do grupo inicial reunidos em torno de uma bancada no meu estúdio onde a Estação começou e a segunda foto e da casa de adobe onde estamos projetando hospedagem para até dois residentes que farão as imersões na Estação Bailux e as práticas em nossas comunidades co- autoras dos projetos realizados.

Jurgen, Regis, Rafael e Julia Marques
Casa de Adobe do ano 1985 e atual Espaço Residência.