Arquivo Mensal: maio 2015

Bailux e os territórios nômades.

lus01 lus02 flick23 Já algum tempo que os nômades das “utopias do possível” passam pelas terras livres do Bailux no itapeco e todos com uma mesmo desejo,instalar suas tendas e promover imersões de compartilhamento de conhecimentos,memorias e afetos. Com a vinda de uma nômade inspirada,a Luciana Fleishman,foi cartografado um espaço relacional,um território protótipo de acolhimento,uma pequena base,estação de apoio para expedições mais planejadas nas terras itapeco e nas 24 aldeias pataxó vizinhas.Tapuias é uma casa que nasceu com esta vocação,arte,tecnologia,permacultura,espiritualidade e outra tecnologias afetivas,é o lugar onde esta a maquete holográfica do itapeco e o atelier de Lucia e Antônio Rizzo, e onde pela primeira vez em todos estes anos de Bailux encontramos estabilidade para propor nossa primeira imersão nômade,que acontece nestas próximas semanas com Lúcia,uma nômade,cientista politica e fotografa da cidade Rosário Argentina,vinda de uma imersão em um quilombo próximo a valência-BA,ela se propôs neste experimento laboratorial,construir junto com os bailux Tapuias,um protótipo de possibilidades interativas para os próximos nômades errantes pelas terras do cobrimento do Brasil.

Bailux: Cartografia em Espaços Flexíveis e Cambiantes

Hei Bandos,

Luciana Fleischman cartografou alguns caminhos das constelações espaciais Bailux e que poderemos percorrer com  outros nômades errantes e desterritorializados.

bailux01

Estação de apoio Bailux-Centro do Arraial d’Ajuda

flickr01

flickr02

Prática da AgroFloresta no Itapeco

flickr08

Reserva Itapeco-Mata Atlântica

varanda01

Na Varanda Cultural Pataxó- Com a liderança Arnã Pataxó

tapuia07

No Espaço Residencia Tapuia-Porto Seguro-Com Lucia E Antonio Rizzo

maquete01

Perigrinação: Dispositivo Relacional Maquete Itapeco-Atelier Lucia e Antonio Rizzo

Uma maquete funcionando como uma cartografia de sonhos

IMG_20150503_174449523

IMG_20150503_174350070

IMG_20150503_174313810

Um Olhar Nômade de luciana fleischman para a maquete das terras livres bailux no Itapeco: Vejo essas imagens da maquete e fiquei imaginando ela ser (ou vir a ser) um dispositivo relacional…esse simples exercício de encontro de pessoas em torno de uma maquete funcionando como uma cartografia de sonhos, uma ferramenta para mapear desejos/recursos/possibilidades em torno dessa construção coletiva.