Arquivo Mensal: agosto 2009

Construindo redes: pessoa-pessoa

blog00003

metarecsx,
estamos reunidos,Regis,Diego,Marcelo,Ruan,Léo desde as 15 hrs na zona impermanente bailux,hoje recebemos duas representantes de uma associação chamada filhos do céu,ficaram sabendo do bailux com a steffi,elas falaram de espeço que estão ocupando,uma casa com varias salas onde pretendem realizar varios cuersos de formação para jovens e crianças,falamos sobre a metarecicalgem e mostramos videos com hdhd,Dalton,Glauco no que é metareciclagem,falamos sobre parcerias e metodologias,o ambinete hoje tá bem no conceito do lab conectando pessoas,recebemos uma doação de uma maquina com uma boa configuração de 80giga no hd e mais memoria de 512 RAM,a galera tá na unha tentando instalar o xubuntu só que a maquina dsliga a cada cinco minutos..he he he he agora é partir para as investigcões do que ta rolando no hardware,enquanto digito aqui ouvindo mantras e o Léo dando uma geral no lab,o Diego fuça nas peças e o Ruan tá na escuta,o Marcelo acabou de sair e disse que Max tá trampando,hoje sem o Nokia na produção de imagens,no vamo q vamo e só alegria digiiar desde a zona temporaria..uuuuuuuuuuu..ha ha ha ha..vamo q vamo que queremos construir redes solidarias.

Giselle bailux

blog00030

Querido amigo Regis estive pensando muito sobre nossos encontros com a Bailux, conheco muito pouco ainda e espero ter a oportunidade de conhecer mais, e ao receber este email abaixo de Bauman, me ajudou a refletir ainda mais. Me lembro desde dos meus 16 anos estudando e aprendendo mais sobre o ser humano e tentando trazer ate hoje,  a consciencia as pessoas e a mim , da importancia de nos conhecermos em consequencia de compreender o porque muitas vezes maltratamos (e um nivel inconsciente) o proximo, a nos mesmos incluindo nosso planeta ( falta de amor, sofrimentos, traicoes etc etc).  Acredito que essa conscientizacao em que estou falando e mais uma ferramenta em como unirmos uns aos outros. Portanto acredito existem varios rios tentando caminhar para o mar, uns encontram  o caminho outros se secam no meio deste caminho, mas acredito que o importante e que estes rios existam. Se um grupo faz parte de um rio ( aprendendo, estudando e tentando encontrar o caminho do mar), fica dificil de se envolver de se envolver 100% em ajudar  outros rios,  talvez por falta de experiencia, ou talvez por nao dar foco em varias coisas ao mesmo tempo, ou por apenas respeito pelo rio em que estava ajudando primeiramente. Mesmo assim acredito que isso nao impede ue conhecermos outros rios e conversarmos com estes rios, e assim podemos aprender como eles se curvam nas correntezas, como passam pelas rochas e como sobrevivem em epocas de secas. E com a Bailux aprendi tambem que as vezes os rios podem se unir trocar ideias e desenvolver novos caminhos tambem, ou quem sabe novos rios.
Obrigada pela experiencia, e se eu poder ajudar em algo  me fale com um pouco de antecedencia, mas comparecerei, quero ir  as quintas quando eu poder para continuar conhecendo o trabalho e ajudar como eu posso. Hoje conversaremos mais sobre o assunto no encontro as 17 00
Grande abraco
Giselle Cara

Bailux-auto-organização e a colaboração.

blog00036

A geração nascida entre 1977 e 1997, que está ingressando no mercado de trabalho, chamada de geração Y ou Millenium, é composta por “nativos digitais” e, por isso, tem um pensamento bastante diferente, explica Tapscott. “Eles têm uma capacidade multitarefa maior e não ficam recebendo informações passivamente. Eles usam o computador, enquanto assistem à TV, ouvem música, desenvolvem estratégias para games e colaboram entre si”

reportagem aqui;

http://info.abril.com.br/corporate/noticias/cio-e-peca-chave-na-web-2.0-diz-tapscott-08082009-0.shtml

Encontro metareciclagem no arraial

encontrao01

foto:encontro metareciclagem no campus party-sp

Oi, Carmen, Régis, galera!
muitos jeitos de caminhar agora com as mudanças de planos… até então a trajetória era:
indivíduos na lista dando ideias – indivíduos se encontrando mais perto pra organizar as ideias em forma de projeto pra edital – metarecs invadindo arraial – novos bandos se formando
[até então não tínhamos a boa notícia da comunidade local se expandindo (em arraial e pr´além)]
o que podemos fazer agora:
pessoas se organizam para ir  (solos, duos, grupos, etc. a pé ou voando…) – contam pra lista o que conseguiram/resolveram & colocam no site metarec – a gente se encontraí
com base na sugestão de vocês:
termos um dia para convidados em que seria feita uma roda de discussões para que houvesse uma apresentação geral de vocês e do movimento já que diversas pessoas mostraram interesse em conhecê-lo.
sendo um grupo menor (chegamos em 15? 20?), jeitos de fazer a roda e as oficinas, usando a imprevisibilidade e a incerteza a nosso favor:
– escolhe um horário, senta e conversa com quem tiver e aparecer
comes e bebes comunitários não planejados constumam ser bons agregadores
[isso pode se transformar em pic-nic, festa, reunião descontraída, encontro informal…]
– junta replicadores, visitantes e alguns materiais (ideias, objetos, ferramentas, equipos, etc)
cada um se apresenta, diz o que sabe fazer e o que quer compartilhar/aprender
subgrupos se formam e a brincadeira começa. novos interesses surgem e velhos renascem qdo cabeças e mãos se juntam…
detalhes importantes:
– galera ser informada/sensibilizada para esses jeitos de fazer as coisas (http://wiki.papagallis.com.br/Desconfer%C3%AAncia
– se existe expectativa/ necessidade de formalizar algo (para conquistar/legitimar parcerias) é bom que elas sejam colocadas para não rolar uma frustração ou oportunidades importantes “perdidas”/ pouco aproveitadas
– se há grupos/pessoas que ainda não conhecem a metarec e sairão de longe/ com dificuldades e muito esforço para chegar talvez seja bom prestar atenção não apenas na programação, mas tb no jeito de acolher
continuemos a conversa…
bjs
tati